terça-feira, 15 de outubro de 2013

Exercício e os inconvenientes de emagrecer

Diz que ontem fiz mais 6,5km, entre corrida e caminhada. Suei à brava, lutei contra mim mesma, doeram-me imenso as pernas, mas cheguei ao fim preenchida com uma óptima sensação!

Gosto cada vez mais de fazer exercício, de andar, correr, esforçar-me e sentir-me estourada. Sabe bem puxar pelo corpo e vê-lo a ficar diferente aos poucos.

No final da corrida/caminhada o meu jantar foi um batido de fruta - banana, laranja, melancia e amoras. Muito açucar? Talvez, não sei. Não tinha sopa pronta, por isso foi a solução mais válida que encontrei. 
Soube-me bem, não me senti cheia, e parece-me ser algo de fácil digestão (tanto que quando fui para a cama estava já com a sensação de estômago vazio... lol).

E todos os dias de manhã, não sei o que vestir porque a roupa me começa a ficar larga (alguma dela, muito larga), mas não me apetece gastar dinheiro... 
É esta a grande desvantagem de emagrecer: ficamos sem ter o que vestir! É certo que quando engordamos acontece o mesmo. Na verdade, ainda é pior porque além de não querermos estar a aumentar de peso e volume, as roupas ainda nos ficam mal e as soluções são mais difíceis.
Mas em todo o caso, nesta fase, aborrece-me ter de pensar em gastar dinheiro com roupa. Mas não vai ser fácil evitá-lo. Pelo menos, mandar apertar algumas coisas terá de ser, se não pareço uma trenga com a roupa toda pingona... É que tenho peças que começam a ficar mesmo mal (na minha óptica, claro).
Terei fazer uma lista bem estruturada do que preciso e cingir-me a isso quando me aventurar a entrar em lojas, até porque a oferta atual está um bocado fora daquilo que gosto de vestir (e ver vestido...)!
Enfim, dilemas de mulher! :)



Sem comentários: