quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Do fim de semana e outras reflexões

No fim de semana apostei em tentar fazer umas corridas perto de casa, pelos percursos que habitualmente uso para caminhar.
A verdade é que são percursos de piso irregular, nomeadamente estradas em paralelo daquele que de paralelo não tem nada, e com um nível considerável de subidas e descidas.
Como seria de esperar, a distância que consegui fazer correndo foi significativamente mais baixa do que nos dias em que corro junto à Foz do Douro, mas ainda assim  fiquei satisfeita com os resultados - 2,8km no sábado e 2,5km no domingo, num ritmo um pouco mais acelerado do que tem sido habitual nas restantes corridas (quando corro sozinha tendencialmente acelero o passo...).
Chego também à conclusão (embora ainda pouco cimentada) que as corridas de manhã (no sábado saí de casa pelas 9.30 e no domingo pelas 8.30, a ver se evitava o calor) não rendem tanto, que o meu corpo não reage tão bem.
Se for caminhar, não tenho qualquer problema, caminho o que for preciso e não sinto nenhum cansaço fora do habitual.
Mas nestas duas corridas senti alguma dificuldade, e apesar de parte ser devida ao próprio percurso e ao sol forte que se fazia sentir, penso que ser assim de manhã, não ajudou também. Mas terei de fazer outras tentativas, mais pela fresca. 

Anteontem, voltei à Foz do Douro e, com energias vindas não sei bem de onde, corri 6,7km e, não fossem as horas já tardias, sinto que conseguia ainda um pouco mais.
Hoje pretendo correr novamente e adorava que o meu corpo estivesse como na 2ªf, cheio de vontade e energia e capacidade de resistência. A ver vamos.

A alimentação, essa, tem estado um pouco fraca, com bastantes desvios ao que devia ser. Mas tenho tentado ter algum cuidado com as quantidades (como coisas que não devo mas não em quantidades exageradas) e em manter a quantidade de líquidos (água e/ou chá).
Surpreendentemente, hoje a balança presenteou-me com um 63,5kg.
Nem sei bem porque me pus em cima dela, mas ao vê-la pela manhã não resisti.

É certo que não estarei nos 60 e trocos, como me propus aqui, mas a verdade é que neste mês, e apesar de todas as promessas que fiz neste blog e a mim mesma, não fiz nenhum controlo válido sobre a alimentação. E sem a alimentação estar direita, não há exercício que lá vá.
Mas a verdade também é que me preocupo cada vez menos com a questão do peso. 
Gostava de pesar menos? Claro que gostava. Mas não me prendo a isso.
Quero, acima de tudo, gostar de me ver, sentir-me bem na minha pele, sentir-me forte e resistente, sentir o corpo duro, deixar de ver celulite.
E apesar de algumas destas metas ainda estarem longe (a parte do corpo duro e da celulite serão lutas eternas, a meu ver), já gosto bem mais de me ver agora.
E gosto do que as pessoas me dizem quando me vêem, como ontem uma colega que, em frente a mim, comenta com outro colega " Ela está radiante, não está? Assim, poderosa! ":)

Isso é o mais importante: que me sinta bem e que isso se note! E acho que se nota! :)

Sem comentários: