quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Da maternidade...

Todos os dias luto contra mim mesma quando me assola o pensamento de que não sou (nem serei) uma boa mãe para a minha pequenina.
Todos os dias sinto que não serei capaz de ser aquilo que ela precisaria que eu fosse.
Sinto que não tenho o perfil que uma boa mãe deve ter.

A cada momento que me dá a preguiça de fazer algo mais adequado para a alimentação dela, a cada momento que não sei mais o que fazer para a entreter, cada momento que olho para o relógio para ver se não são horas de a pôr a dormir... A cada momento destes, sinto que não sou boa mãe.
Aterroriza-me pensar que não sou (nem serei) capaz de a fazer feliz, de passar tempo com ela em pleno (sem estar a maquinar outras coisas na minha cabeça), de brincar com ela...
Aterroriza-me pensar que não serei capaz de criar com ela os laços que gostaria, que poderei não ver um brilho nos olhos dela de cada vez que me vê...

Não sei como contorno isto... mas sinto que não sou boa mãe...

1 comentário:

Raquel Freitas disse...

Belocas, acredita que não és a única. Se procurares na net vais facilmente perceber que esse é um sentimento partilhado pela maioria das mães. Faz parte do conjunto de emoções que se "ganha" com a maternidade (juntamente com o medo constante de os perder, a maior consciência da nossa própria mortalidade - porque não os queremos deixar sozinhos - , aumento da sensibilidade para as situações de injustiça para com os mais pequenos...)
Eu também me sinto assim todos os dias. Há sempre qualquer coisa que gostava de ter feito melhor, de ter reagido de uma forma mais correta, de ter sido uma melhor mãe (estilo mãe do Ruca)... e depois martirizo-me a pensar como é que aquilo vai afetar a vida deles, como é que lhes vai moldar a personalidade... o medo de que deixem de gostar de mim, de deixar de ver o tal brilho nos olhos deles de cada vez que me vêem...
Estes nossos receios são sinal de que nos preocupamos, que temos dúvidas, que queremos ser sempre melhores, porque só lhes desejamos o melhor... e que pensamos demais! :)
Acredita e convence-te que somos, na realidade, mães extremosas, carinhosas, que amam MUITO os seus filhos... não somos perfeitas, nem somos as melhores mães do Mundo (embora queiramos que os nosso pequenos digam sempre isso), mas estamos sempre atentas e sempre a tentar melhorar.

Por isso, relaxa e repete várias vezes esta grande verdade: " EU SOU UMA BOA MÃE"...