quarta-feira, 17 de agosto de 2016

...

Há 4 anos, fomos aos Açores. Estivemos instalados no Faial, mas fomos 3 dias a S. Jorge, que recomendo vivamente (adorei a ilha).
A viagem de regresso ao Faial, de barco, foi a pior que alguma vez fiz. O mar estava muito agitado, o barco baloiçava para todos os lados.
Sabendo que enjoo, tinha tomado um comprimido e forrado o estômago, e sentei-me ao ar livre, no centro do barco, olhando sempre em frente.
Mesmo assim, obviamente enjoei, mais do que alguma vez havia enjoado, mas mais que isso, tive aquilo que penso ter sido um ataque, uma crise de pânico, de ansiedade...
As minhas mãos começaram a fechar-se e não conseguia abri-las. Parecia ter perdido controlo sobre elas, só conseguia dizer "não consigo abrir as mãos" e as lágrimas rolavam-me pela cara. Sentia-me completamente perdida. Nunca tinha sentido nada assim.
Saí na escala que era feita no Pico e só consegui voltar a entrar num barco na manhã seguinte (tivemos de passar a noite num hotel na Madalena).

Ontem, ao tentar adormecer a S. tive uma sensação muito semelhante.
Ela tem estado inquieta no adormecer. Chora, contorce-se toda, resmunga... num momento parece que acalma, para logo de seguida começar a gritar "não! não!" e voltar a chorar e contorcer-se.
Estava já com ela há mais de 1 hora... e comecei a sentir-me perder o controlo do meu corpo. Um torpor, uma sensação de descontrolo e desconforto físico... as lágrimas a subirem, a quererem aparecer...
Valeu-me que ela pediu para ir para outro quarto ("o quarto do vu e da vó"), deitamo-nos lá na cama, o pai apareceu e deitou-se a nosso lado e ela acalmou e adormeceu.
As lágrimas ainda rolaram...

3 comentários:

♥Cat disse...

Nunca passei por isso nem assisti a nenhum ataque de pânico por isso nem sei bem o que te dizer... deve ser assustador, mas pelo menos parece que consegues aperceber-te quando está para chegar o que pode ajudar a usares algumas técnicas para tentares combater/controlar.

Maria Mestre disse...

Aii que dor, espero que fique tudo bem. Deve realmente ter sido perturbante, mas vais ver que tudo acalma. Beijinho.

A Pimenta* disse...

talvez seja melhor procurar ajuda médica. Há situações que nós acabamos por perder o controlo sobre elas. Muita força!