terça-feira, 6 de outubro de 2015

Noite complicada

Esta foi uma noite difícil.
Começou logo na fase do adormecer da pequenina. Estive mais de 1 hora com ela antes que fechasse os olhos. Vira-se, rebola, levanta-se, senta-se, atira o peluche de um lado para o outro, levanta-se novamente, sorri para mim, volta a sentar-se, deita-se, esfrega os olhos cheia de sono, para logo de seguida se voltar a levantar... enfim...
Fico tão cansada que sinto a paciência a esvair-se de mim... e a ter atitudes com ela de que logo me arrependo. Como pegar nela com mais vigor e deitá-la à força. Ela ficou a olhar para mim um pouco pasmada, juro que lhe vi tristeza nos olhos... E logo de seguida lágrimas nos meus, porque não quero ser assim. Quero perceber o que se passa com ela e tentar ajudá-la a ter um adormecer mais tranquilo.
Peguei nela ao colo, encostei-a bem junto a mim e ao fim de algum tempo lá adormeceu, eram 21.10h.

Até às 4h e qualquer coisa da manhã, quando voltei a ouvi-la a resmungar. Pela câmara fui controlando, mas cerca das 4:45h levantou-se e começou a choramingar e lá fui eu, ver se a consolava... E lá fiquei, no quarto dela, mais de 1 hora novamente, até às 6h da manhã. Estive com ela ao colo imenso tempo, até no chão me sentei que já não podia das costas sentada no banco, até que ela adormeceu (achava eu)!
Deitei-a na camita e voltei à minha cama. Nem 5 minutos depois, começou a chorar, mas a chorar a sério.
Foi lá o pai, mas ela continuava a chorar.
Trouxemo-la para o nosso quarto. Sentei-me na cama, com ela bem encostadinha a mim, ainda a choramingar. Aos poucos, foi acalmando, com a cabeça pousada no peito. E só nessa altura senti que ela tinha verdadeiramente sossegado. E lembrei-me das horas que passava com ela assim naquela posição, quando era bem pequenina, após a alta do hospital (e ainda no hospital também).
E senti-me grata pela bebé que tenho, e por aquele momento de ternura, de amor.

Ainda passei um bocadinho toda torta na cama, até que me decidi a deitá-la ao nosso lado, pelas 6:40h, e assim ficou, super calminha, entre o pai e a mãe, até às 8:30h.

Sei que sou uma sortuda porque ela raramente tem noites destas, costumam ser super tranquilas, e até há cerca de um mês atrás, era mais ou menos pacífica para adormecer.
Apenas gostava de perceber o que se passa, o que levou a esta mudança na hora de ir para a cama, para a poder ajudar...

Sem comentários: